Dicas de Forehand e Backhand

Forehand
Uma olhada numa partida profissional mostra que há mais do que uma única forma de bater um forehand. O jeito de Roger Federer é quase clássico, com seu movimento suave e sua empunhadura das antigas. Já o forehand de Rafael Nadal não será encontrado nos livros de tênis, mas é um golpe quase infalível. Não importa como você bate o forehand, com apoio aberto ou fechado, com empunhadura Eastern ou full Western, uma coisa é necessária ao golpear: você precisa estar muito, muito relaxado. Jimmy Arias, cujo forehand lhe levou ao top 5, diz que isso é algo que seu pai lhe ensinou quando ainda era criança. "Você precisa ficar com o braço completamente relaxado", afirma Arias. "Muitas pessoas tentam gerar potência retesando os músculos do braço. Você precisa deixar o braço fluir. Ele não vai voar, ele está grudado no seu ombro".

Dicas Rápidas
Para conseguir o máximo do seu forehand, é necessário dominar o equilíbrio. Arias diz para manter alguma distância entre seus pés, assim você terá uma base larga de apoio. Se conseguir se ajustar de maneira apropriada a cada batida, o resto do seu golpe vai ganhar forma.
- Arias lembra de outro ponto: rotação. O centro de seu corpo e os ombros fazem muito do trabalho em um bom forehand. Seus ombros, primeiramente, precisam girar para trás e, então, se desenrolar. Uma boa rotação prevenirá que você confie demasiadamente no braço.
- A maioria das pessoas bate o forehand com apoio aberto atualmente. Está tudo bem desde que seu peso continue a ir para a frente, na direção do golpe.

Backhand
Para bater um bom backhand de duas mãos é preciso "senti r um puxão no ombro da frente", segundo Rick Macci. Macci, que treinou Andy Roddick e as irmãs Williams, pede para seus alunos girarem seus ombros até que ele esteja abaixo do queixo. Um giro apropriado do ombro lhe permite desenrolar o golpe e executar um swing ritmado. A mão de apoio deve empurrar durante do contato, ao invés de estapear a bola. Macci compara isso a uma mão se movendo através da água em uma banheira.

Dicas Rápidas 
- Use a empunhadura Continental na mão que está golpeando e um semi Western na que serve de apoio. - Para ficar confortável com o giro completo do ombro, treine golpear com um apoio extremamente aberto. Fique na linha de base e mantenha os pés na direção da rede. Peça para que alguém lhe mande bolas fáceis de bater. Dessa forma, você terá que exagerar o giro do ombro para golpear. "Você sentirá o puxão e o alongamento", afirma Macci.
- Lembre-se que a potência vem do chão. Muitos amadores esquecem de usar suas pernas quando batem um backhand de duas mãos - eles apenas usam os braços. É preciso flexionar os joelhos e ir na direção do golpe.

Slice de uma mão 
O slice de uma mão no backhand é uma parte essencial do arsenal de um bom jogador. O slice vai lhe ajudar a mudar o ritmo das trocas de bola, a se aproximar da rede e a quebrar o ritmo de seus oponentes que estão acostumados a reagir bem aos topspins. Katrina Adams, ex-tenista profissional e comentarista do Tennis Channel, aponta dois elementos-chave para esse golpe: a cabeça da raquete precisa começar mais alta do que a bola que está vindo; e a empunhadura precisa ser Continental com um pulso firme. "Uma preparação antecipada é a chave", diz Katrina. Tenistas amadores geralmente reclamam que seus slices flutuam ao invés de penetrar na quadra adversária. Katrina diz que uma terminação estendida, com a cabeça da raquete na direção do alvo, vai resolver o problema.

Dicas Rápidas 
- Gire os ombros quando trouxer a raquete para trás. Mesmo que o slice não seja um golpe associado à potência, é preciso girar completamente antes de golpear. Se seus ombros não estiverem de lado ou abertos cedo o suficiente, você vai apenas cortar a bola, ao invés de realmente golpear, perdendo potência e profundidade.
- Use o fundo do cabo da raquete como guia para preparar seu slice. Se o fundo da raquete estiver na linha da bola, isso significa que sua raquete está alta e você fará o movimento através da bola.

Devolução de saque
Tenistas amadores dão pouca atenção à devolução de saque. Mark Bey, assistente técnico dos duplistas Bob e Mike Bryan, gostaria de mudar isso. Bey diz a seus alunos que a devolução é uma arma, não apenas um modo de começar as trocas de bola. Ele afirma que você deve devolver com um backswing (preparação) mais curta, cerca de 2/3 de sua preparação normal. "Se for um segundo saque mais lento, não espere a bola", conta Bey. "É melhor se aproximar e bater com um swing curto. Assim a bola volta para seu oponente rapidamente".

Dicas Rápidas
- O split step é a chave para uma devolução efetiva. Para ajustar bem seu split step, imagine uma caixa sobre a cabeça de seu adversário. "Quando a bola atingir aquela caixa, faça o split", diz Bey.
- Mesmo usando uma preparação mais curta na devolução, você não deve limitar a transferência de peso para a bola. É importante se mover para a frente. Vá atrás da bola, não deixe-a vir até você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário